29 jun 2012

1 ano de Suíça

Um ano atrás eu cheguei na Suíça. Um ano atrás eu deixei tudo e todos sem olhar pra trás! Eram um momento de tristeza e alegria. De despedida e reencontro! Mas uma coisa eu nunca senti: medo. Nem por um instante! Cheguei aqui num dia quente, com duas malas na mão e o coração cheio de coragem. Só.

Nesse um ano muita coisa aconteceu. Me casei, viajei, conheci muita gente e aprendi uma língua nova.

Se foi tudo mil maravilhas? Nem de longe! Me casei longe da minha família e dos meus amigos, senti muita saudade de casa, pensei por alguns instantes em desistir e me senti triste algumas vezes.

Mas, eu faria TUDO DE NOVO de olhos fechados, como fiz há um ano. Felicidade não  tem preço e lutar pela própria felicidade é a maior satisfação do mundo. Que venham mais um, dois, 10 anos de novas experiências, e se Deus quiser, do lado do homem que eu amo.

E a saudade continua!


11 abr 2012

Decola, por favor, decola!

– Decola, eu pensava. Decola! Sai do chão o mais rápido possível.
Rápido, por favor! Mas o caminho percorrido pelo avião até decolar me torturava, bem aos poucos. A cada vez que pedacinhos do aeroporto iam aparcendo e desaparecedo na minha janelinha a ansiedade misturada com melancolia aumentava. Decola, por favor decola. Eu queria voltar pra casa mas nao queria ir embora… de casa?

Até que o avião decolou e aos poucos tudo ia ficando mais longe, mas a dor não diminuía. Olhando pela janela e vendo a pequena ilha ficar ainda mais pequena eu chorava mais. Como no carnaval ninguém sai de Floripa o avião estava praticamente vazio, favorecendo meu choro inconsolável sem o olhar de curiosos.

Após uma hora de choro o avião voltou ao solo, fazendo com que eu juntasse todas as minhas forças e parasse com o drama, já que eu precisava correr para o check-in do próximo voo, do qual eu já estava atrasada.

Mais um voo e mais um pedido desesperado: Decola, mais uma vez, por favor! São Paula ainda é perto de “casa” mas voltar não era uma opção, então eu só queria chegar em Zurique o mais rápido possível, retomar minha rotina e ver se a angustia passava. Ao decolar, veio a certeza de que eu estava mesmo deixando o Brasil, e eu já não sabia mais o que sentir. Mas eu tive que dar aquela respirada e dizer pra mim mesma, num tom de ordem: “Chega! Tudo tem que continuar.” E assim eu engoli o choro e coloquei os bons momentos lá na caixinha da memória, mesmo que isso me fizesse sentir um vazio inexplicável.

E continuei, obedecendo minhas próprias ordens, pois se tem alguém que jamais desobedeço, é a mim mesma.


30 mar 2012

Fotos da semana

Agora é regra em casa: falar somente em alemão comigo. Mas a regra não é seguida por todos, só pelo Amir que tem paciência de falar devagar comigo. Dentro dessa caixinha verde tem verdadeiros pecados alimentícios! Barrinhas de coco e açúcar, uma coisa de louco!

Depois que voltei do Brasil me deu uma vontade enorme de renovar meu quarto. O resultado foi lindo! Duas semanas depois do meu aniversário eu ainda estava recebendo bolo e presente. Acima é na casa da minha sogra e abaixo na casa dos meus pimpolhos.

Nos dias de sol é ótimo estudar na sacada. O tempo de estudo passa de uma maneira sutil.

Mensagem particular: Mãe, a minha sogra adorou o avental! Agora que eu achei uma loja que vendo farinha de rosca barata quero cozinhar tudo à milanesa, mas só nos finais de semana, claro!

Adoro a vista do lago, seja ela da sacada ou do meio da cidade. Na hora do photoshop nem percebi que tinha repetido uma foto. Agora dá licença que é hora de juntar os pesinhos e dormir. Gute Nacht!


23 mar 2012

Breve visita ao Brasil

Algumas fotos da minha breve, muy breve, viagem ao Brasil:

Depois da minha família, uma das minhas grandes expectativas era a comida. Meu deus como eu senti falta da comida da minha mãe! Comida caseira, churrasco e sushi era tudo que eu queria!

Olha aí alguns dos meus amores! As meninas no sushi, minha mais que fofa cachorra Wendy, a familía reunida com as caixas de chococate suíço e o pessoal que foi me buscar no aeroporto, já que o dia que eu cheguei foi uma surpresa pra minha família. Tá faltando o Cadu nessas fotos!

Como por aqui tudo é caro, inclusive ir ao salão de beleza, eu deixei pra fazer tudo que queria no Brasil. Meu cabelo tava preto, então decidi fazer umas luzes pra clarear. Luzes feitas, eu achei que era pouco e quis pintar. Resultado? Uma m*rda! Como meu cabelo tinha um pedaço virgem na raiz, a cor clara pegou somente nessa parte, me deixando com cara de p*ta pobre. Socorro! Lá fui eu de novo pintar da mesma cor que tava quando eu cheguei. E por fim, meu retoque de alisamento que foi tão mal feito no salão da Cotirô que eu sinto raiva até hoje! Ou seja, dinheiro jogado no lixo!

A minha primeira marquinha de aliança na mão esquerda! Fofo.

E como era meu aniversário eu me dei de presenta uma melissa. Não vejo a hora de chegar o verão por aqui pra me exibir com meu produto brasileiro! E como pode uma pessoa ser casada com uma brasileira e não ter Havaianas? Comprei pro Amir essa que brilha no escuro, já que aquela com bandeirinha do Brasil todo mundo tem por aqui. Ganhei de aniversário um jogo de taças de cristal feito a mão lindíssimo, mas não pude trazer, pois iriam quebrar.

Aproveitei pra visitar um lugar que frequentei minha vida toda: Alesc. Foi muito bom rever as pessoas com quem eu trabalhei por tanto tempo. E a parte mais difícil foi deixar Floripa, pois isso significa deixar muita coisa! Mas isso é assunto pra outro post! 😉



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2021 • powered by WordPress • Desenvolvido por