20 out 2014

O meu erro

Uma das coisas mais triste num relacionamento é quando cada um quer andar pra um lado. Isso não significa que os dois queriam se separar, mas cada um quer andar na direção que escolher, e seria perfeitamente maravilhoso, se o outro escolhesse o mesmo caminho. Mas nem sempre é assim. E daí quando você se vê nessa situação, há algumas opções do que fazer:
1. Insistir em fazer as coisas do seu jeito, afinal é a vida que você sonhou, mesmo que seja sem ele.
2. Insistir em dizer que o jeito dele não funciona pra você, e quem deve mudar é ele.
3. Aceitar fazer tudo do jeito dele, pois afinal o importante é o sentimento, e quem sabe um dia ele mude.
4. Aceitar mudar algumas coisas esperando que o outro também mude. Daí você faz uma mudança aqui, aceita outra coisa ali, ele faz o mesmo, porém você não vê. Ou acha que nunca é o suficiente. Por que na verdade tudo que você queria era que ele escolhesse a opção 3.

E nesse processo de cada lado ceder um pouco, os dois lados ficam cada vez mais convictos nas suas decisões e que não devem ceder nada. E nisso os casais de afastam. E aí começa a parte mais difícil: aceitar que talvez a decisão mais sensata fosse escolher desde o início a opção número 1.

Se ao final eu “falhei”, eu tenho certeza que eu tentei, cedi, aguentei e em algumas coisas mudei. Eu passei pela opção 3 e depois 4, e infelizmente vi que a melhor opção pra mim seria a numero 1. E eu que um dia pensei que a única opção era ficar junto, não importa o que aconteça.

“Você diz não saber, o que houve de errado e o meu erro foi crer, que estar ao seu lado bastaria.”


15 nov 2012

Cheirinho

Na maioria das vezes dado no cantinho do pescoço, o famoso cangote, hihi. De vez em quando um cheirinho é mais gostoso que um beijinho.

Cheirinho, uma das primeiras palavras estranhas que ele aprendeu comigo. (Quem me conhece sabe que eu invento palavras toscas, e claro, ele aprende todas)

E há coisa melhor do que eu cheirinho de quem a gente ama?


25 set 2012

Beijo

Tem beijo lá e acolá. Tem beijo na nuca que faz os cabelinhos do braço levantar. Beijo de amigo, que sucede um abraço. Três beijinhos, dois ou um na bochecha, sempre incertos, que faz você se atrapalhar e parecer uma pateta. Tem beijinho do mãe sobre o machucado. Tem também o beijo galanteador na mão. Mas só um te faz sentir borboletas no estômago…Seja ele estalado, demorado, sutil ou apimentado. É nesse momento que me sinto mais próxima dele!



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por