25 out 2015

Domingo no parque

parque 2

Um passeio no parque sempre me remete a imagem de casais sentados juntinhos, grupo de amigos bebendo ou fazendo pinic, mães com suas crianças ou famílias passeando. Talvez eu tenha essa ideia fixa de nunca estar sozinha, por que eu vim de uma família grande.  A gente sempre saiu junto, não me lembro de ver meu pai saindo pra passear sozinho nem minha mãe.

Passear por Zurique (na verdade em qualquer lugar) sozinha pra mim sempre foi um problema. Eu vim pra cá com o propósito de desbravar a cidade na companhia de alguém, e fiz isso varias vezes, claro. Talvez no passado eu não tenha dado o valor a uma simples caminhada a dois. Eu achava que precisava sair pra comer, tomar um cafe em um lugar interessante. As coisas eram difíceis quando eu cheguei aqui. Hoje eu tenho a possibilidade de sair pra comer a beira do lago, tomar um cafe na confeitaria mais famosa da cidade…

Mas as coisas mudam, e consequentemente mudam também os valores.

Hoje eu caminhei pela cidade sozinha, parei no parque, li meu livro, observei as pessoas. E me senti bem. Por que é muito importante curtir a própria companhia. Isso não e sinal de solidão, é sinal de auto conhecimento. Não me entendam mau, eu tenho muitos amigos, mas nos últimos meses aprendi o valor de estar sozinha. Eu aprendi a me ver, coisa é sim muito difícil quando estamos rodeados de muitas pessoas, ou nos doamos muito para elas.

Hoje entendo o que quer dizer “seja inteira, e não a metade da laranja”. Leva tempo, mas quem realmente quer, aprende. Aprende também que o tempo cura tudo e que é preciso dar tempo ao tempo.

Dê também tempo a você mesmo, e quem realmente estiver na sua vida vai continuar, não importa quanto tempo você necessite pra se encontrar. A vida passa rápido, verdade, mas também é muito longa. Há tempo de plantar e de colher. parque 4parque 3

E como sempre as joaninhas pousando em mim. Muito amor!

PicCollage-2


29 jun 2012

1 ano de Suíça

Um ano atrás eu cheguei na Suíça. Um ano atrás eu deixei tudo e todos sem olhar pra trás! Eram um momento de tristeza e alegria. De despedida e reencontro! Mas uma coisa eu nunca senti: medo. Nem por um instante! Cheguei aqui num dia quente, com duas malas na mão e o coração cheio de coragem. Só.

Nesse um ano muita coisa aconteceu. Me casei, viajei, conheci muita gente e aprendi uma língua nova.

Se foi tudo mil maravilhas? Nem de longe! Me casei longe da minha família e dos meus amigos, senti muita saudade de casa, pensei por alguns instantes em desistir e me senti triste algumas vezes.

Mas, eu faria TUDO DE NOVO de olhos fechados, como fiz há um ano. Felicidade não  tem preço e lutar pela própria felicidade é a maior satisfação do mundo. Que venham mais um, dois, 10 anos de novas experiências, e se Deus quiser, do lado do homem que eu amo.

E a saudade continua!


18 jun 2012

De novo?

Oi?! (tipo oi envergonhado). E mais uma vez eu fiz planos de escrever uma série de posts aqui e não deu certo. Não escrevi mais por vários motivos, mas um deles foi a preguiça. Me sinto tão mal que dá até medo de retomar. Se antes já estava difícil, imagina agora que eu, workaholic assumida, arrumei mais um emprego/bico? Isso mesmo, agora nas tardes que eu tinha livre pra escrever eu estarei ocupada. Mas é temporário, só 3 semans até meus pais chegarem. E como eles estão vindo vou passear bastante, fazer bastente fotos e acabar tendo várias “pautas”. Então espero ter muitas dicas e informações de Zurique pra passar. Mas pra poder passear e mostrar coisa boa tem que ter dinheiro né? Mas em breve o blog vai estar cheio de novidades e lugares lindos pra ver! Eu sei que não deveria prometer, mas eu prometo tá?

Não me abandonem nas visitas!

Beijos e até breve 😉


06 jun 2012

O sistema educacional suíço

Demorou pra pesquisar, demorou mais ainda pra escrever. Entender e depois explicar o sistema educacional da Suíça me levou um bom tempo, mas acho que finalmente eu entendi a diversidade e vou tentar explicar aqui. Mas pra não ficar cansativo vou dividir os posts. Vou dar uma visão geral hoje e amanhã conto como funciona o período de escola obrigatório. Pode ser? Tranquilo?

Vamos por partes, tipo dose homeopática. O mais importante: a Suíça está entre os melhores sistemas educacionais escolares do mundo. O melhor: não é caro, já que tudo é custeado com dinheiro público. Mas peraí, no Brasil as escolas publicas também são pagas pelo Estado. Porque não são excelentes? Sabemos bem por que.

Já as escolas particulares (de jardim de infância à universidade) estão classificadas como uma das mais caras do mundo, mas apenas 5% dos suíços ingressam no sistema privado. Vocês vão perceber a flexibilidade e as inúmeras possibilidades de se ter uma boa formação, seja ela durante ou depois do Ensino Médio.

Como o país tem 4 línguas oficiais (alemão, francês, italiano e romanche), as aulas nas escolas são ministradas em diferentes línguas, depende to Cantão. Mas toda criança na escola primária aprende outra língua oficial do país (neste caso o romanche fica de fora ) e mais o inglês. Ou seja, ensino completo com um plus de falar três idiomas. A diversidade linguística do país reflete também na formação intercultural da criança. Acostumados desde sempre a línguas e culturas diferentes (já que cada cantão tem sua própria identidade), a cada geração que passa as pessoas ficam mais “abertas”. Minha humilde opinião!

Na parte organizacional, o Estado tem a responsabilidade pelas escolas, porém a organização fica a cargo do município, assim como a contratação de professores, grade curricular escolar e feriados. Porém algumas regras vêm de cima (Federal) como a idade mínima para ingressar na escola e a duração do ensino obrigatório. Apenas as Escolas Superiores Técnicas Federais, que como o nome já diz, são controladas pego Governo Federal. Mas não pense que, por que cada cantão se responsabiliza por suas escolas,  vira uma bagunça. É tudo feito em perfeita harmoniza, respeitando cada cantão e sua cultura.

Como a educação aqui é obrigatória, mesmo as crianças filhas de estrangeiros são obrigadas a ir à escola. A idade mínima para começar os estudos é seis anos, mas é oferecido um, digamos, pré jardim de infância antes dessa idade. Os pais são livres para colocar seus filhos, mas mesmo sem a obrigatoriedade a maioria das crianças vai a “escolinha”.

Então existe o ensino infantil – Jardim de Infância, em seguida o ensino fundamental que pode ser dividido em escola primária e escola secundária – com varias ramificações-, e depois há outras opções para quem quer seguir alguma carreira profissional. Tem o Maturitätschule, que é a preparação para a universidade, ou cursos profissionalizantes.  E acima disso tem as Universidades e Institutos Técnicos, mas eu explico com mais detalhes depois!

Como já falei, amanhã vou postar sobre as três etapas do ensino obrigatório, que vou chamar de Jardim de Infância, Ensino Fundamental e Escola Superior. É importante dizer que cantões diferentes podem ter nomes também diferentes para especificar cada etapa do ensino, mas o princípio é o mesmo. Como moro na parte que tem o alemão como língua oficial, vou dar os nomes que eles dão aqui em Zurique, ok?

Espero que vocês gostem!


14 abr 2012

Fotos da semana

Coisa mais adorável meu príncipe loiro de Havainas? Mais adorável que isso só o meu Barman predileto embebedando nossa visita.

Trabalhar com crianças é se tornar, por uma hora, instrutora do Palmitos Park no quintal de casa (pena que esse não é em Grã Canária). Tentei fazer um pudim de Whey Protein e ficou parecendo uma delícia, porém ficou uma porcaria!

Fui numa mina de carvão aqui em Zurique com o pessoal do curso de integração. Muito engraçado!

Todo domingo quando volto da casa da sogra ela me faz trazer as sobras de tudo. Na última vez foi massa de pizza, daí o marido brilhante teve a ideia brilhante de fazer pães de massa de pizza. Como tínhamos salsicha em casa, pedi pra ele fazer com salsicha dentro. Cheguei em casa e encontrei isso. Em vez de salsicha do pão, pão na salsicha!


11 abr 2012

Decola, por favor, decola!

– Decola, eu pensava. Decola! Sai do chão o mais rápido possível.
Rápido, por favor! Mas o caminho percorrido pelo avião até decolar me torturava, bem aos poucos. A cada vez que pedacinhos do aeroporto iam aparcendo e desaparecedo na minha janelinha a ansiedade misturada com melancolia aumentava. Decola, por favor decola. Eu queria voltar pra casa mas nao queria ir embora… de casa?

Até que o avião decolou e aos poucos tudo ia ficando mais longe, mas a dor não diminuía. Olhando pela janela e vendo a pequena ilha ficar ainda mais pequena eu chorava mais. Como no carnaval ninguém sai de Floripa o avião estava praticamente vazio, favorecendo meu choro inconsolável sem o olhar de curiosos.

Após uma hora de choro o avião voltou ao solo, fazendo com que eu juntasse todas as minhas forças e parasse com o drama, já que eu precisava correr para o check-in do próximo voo, do qual eu já estava atrasada.

Mais um voo e mais um pedido desesperado: Decola, mais uma vez, por favor! São Paula ainda é perto de “casa” mas voltar não era uma opção, então eu só queria chegar em Zurique o mais rápido possível, retomar minha rotina e ver se a angustia passava. Ao decolar, veio a certeza de que eu estava mesmo deixando o Brasil, e eu já não sabia mais o que sentir. Mas eu tive que dar aquela respirada e dizer pra mim mesma, num tom de ordem: “Chega! Tudo tem que continuar.” E assim eu engoli o choro e coloquei os bons momentos lá na caixinha da memória, mesmo que isso me fizesse sentir um vazio inexplicável.

E continuei, obedecendo minhas próprias ordens, pois se tem alguém que jamais desobedeço, é a mim mesma.


30 mar 2012

Fotos da semana

Agora é regra em casa: falar somente em alemão comigo. Mas a regra não é seguida por todos, só pelo Amir que tem paciência de falar devagar comigo. Dentro dessa caixinha verde tem verdadeiros pecados alimentícios! Barrinhas de coco e açúcar, uma coisa de louco!

Depois que voltei do Brasil me deu uma vontade enorme de renovar meu quarto. O resultado foi lindo! Duas semanas depois do meu aniversário eu ainda estava recebendo bolo e presente. Acima é na casa da minha sogra e abaixo na casa dos meus pimpolhos.

Nos dias de sol é ótimo estudar na sacada. O tempo de estudo passa de uma maneira sutil.

Mensagem particular: Mãe, a minha sogra adorou o avental! Agora que eu achei uma loja que vendo farinha de rosca barata quero cozinhar tudo à milanesa, mas só nos finais de semana, claro!

Adoro a vista do lago, seja ela da sacada ou do meio da cidade. Na hora do photoshop nem percebi que tinha repetido uma foto. Agora dá licença que é hora de juntar os pesinhos e dormir. Gute Nacht!


21 mar 2012

Curso de integração em Zurique

Lembra quando eu postei sobre o curso de alemão que eu estava fazendo? Pois bem, fiz o curso por dois meses (outubro e novembro) e no final de novembro eu parei por dois motivos: não estava mais me agradando e oportunidade de trabalhar mais horas em dezembro e juntar um bom dinheiro. Eu sabia que logo deveria retornar aos estudos, mas vieram as férias e eu deixei pra voltar em fevereiro, quando o ano letivo recomeça. Eu não sabia se voltaria pra a mesma escola ou se procurava outra, até que minha sogra descobriu algo muito interessante. Ela falou sobre um curso de integração que é oferecido a imigrantes residentes em Zurique, com uma preço animador: 600 francos por semestre, em vez de 600 por mês que eu pagava na escola de alemão.

Logo fui procurar informações sobre esse curso e descobri que ia além do alemão. Informações básicas, porém importantes, sobre a cidade eram dadas no curso de integração. Me animei mais ainda e me inscrevi no programa, mesmo sem mais informações. O Amir entrou no site da cidade Zurique, imprimiu o formulário, eu assinei e mandamos via correio. A resposta veio em algumas semanas com um horário marcado para fazer uma entrevista. Na entrevista eu pude ver qual curso seria melhor pra mim. As opções eram 3: curso de alemão/integração para pessoas de 15 a 21 anos 5 dias inteiros por semana, curso de alemão/integração para pessoas de 22 a 40 anos 4 manhãs por semana ou curso intesivo de alemão para quem já fala alemão, mas precisa da gramática perfeita para, por exemplo, entrar na universidade. Escolhi a segunda opção, já que seria totalmente compatível com meu horário de trabalho e as outras duas não me serviam.

O curso começou dia 27 de janeiro e eu estou totalmente apaixonada pela didática. Nas primeiras duas semanas não aprendemos nada de gramática, pois a ideia era falar falar falar, ou seja, praticar o mínimo de alemão que cada um tinha. O bom do curso de integração é que não há pressa em terminar o livro ou acabar a lição, todos são livres para questionar, informar e as vezes até conversar (quando o tema é relevante). Eu, que achava que não tinha aprendido muito em dois meses, agora passo três horas por dia falando somente alemão. Um pouco errado? Muito errado, mas o importante é não ter vergonha (eu não tenho mesmo!), aprender o básico da gramática e mão (língua) à massa!

Agora algumas informações importante para quem mora em Zurique e está interessado em fazer o curso. O custo do curso por semestre é 600 francos (mais 50 francos de material), mas pode ser reduzido de acordo com sua renda. Depois que as aulas iniciam, é dado um formulário para fazer o pedido de redução de preço. Como o curso é barato há muita procura, pode ser que você fique em uma lista de espera, então depois de aceito é bom se empenhar e não faltar, pois você pode ser retirado do curso. Há muitos passeios pela cidade e também visitas à prefeitura e afins, como escritórios públicos especializados em informações para imigrantes. O cantão de Zurique e Basel são os únicos que oferecem curso de integração, já que são considerados os cantões mais “abertos” a estrangeiros. O nome da instituição que eu estudo é Fachschule Viventa e fica localizado na Kernstrasse 11, esquina da Langstrasse com Badenerstrasse. E, obviamente, é preciso estar legal no país para ter o benefício do curso.

O site do departamento de escola e esporte de Zurique é http://www.stadt-zuerich.ch/viventa, lá você encontra mais informações e também o formulário de inscrição do curso.


19 mar 2012

Jardim Botânico

Já posso dizer que vivi em todas as estações do ano aqui na Suíça. Cheguei no verão e curti muito aquele calorzinho chato, depois veio o outono e vi todas as folhinhas caindo das árvores dia a dia. No inverno, como de praxe, a neve marcou presença. E agora estamos há dois dias da primavera. Claro que os sinais ainda não estão claros, pois quando escurece o frio volta e a flora continua tristinha.

O jardim botânico que pertence à universidade de Zurique é super perto de casa. Ainda no ano passado, no outono, (olha que post atrasado!) o Amir e eu fomos visitar o local e fiquei apaixonada pelo ambiente. Só que logo o inverno chegou e não valia mais a pena visitar o jardim cheio de neve.

A entrada é gratuita, mas cachorros são proibidos – exceto cão-guia, uma péssima notícia para o pessoal daqui, que vai com seus animais de estimação pra todo lugar. Quem for até o local de bicicleta, roller, skate, vai ter que deixar o veículo do lado de fora. Mas isso não é um problema, já que passear com calma, olhar todas aquelas plantinhas ou dar uma sentadinha na grama é o que você certamente vai querer fazer.

É muito fofo ver o cuidado que os universitários/professores tem com o local, mesmo quem não entende nada sobre plantas (Eu!) se impressiona. Plantas à parte, o local proporciona um bom lugar pra leitura, meditação, “fotossintese” (hehe), brincadeiras de crianças, namorico e etc…, principalmente quando o sol está brilhando.

Dentro do grande parque há uma cafeteria, que pertence à universidade, mas é aberto ao público. O horário de funcionamento é das 9:00 as 17:00, menos sábado que abre as 10:30. O almoço é serviço das 11:30 as 13:30, porém se quiser achar um lugar pra sentar é melhor ir depois das 12:30.

Vai dizer que não é uma delícia esse lugar? Super perto de casa. Uma boa opção pra um domingo a tarde.

O entedeço do Jardim Botânico da Universidade é: Zollikerstrasse 107 – 8008 Zürich. Se for fazer uma visita, me convida! 😉

Os horários de abertura são:

De Março à Setembro: Segunda à Sexta, das 7:00 as 19:00. Sabado e Domingo, das 8:00 as 18:00.

De Outubro à Fevereiro: Segunda à Sexta. das 8:00 as 18:00. Sábado e Domingo, das 8:00 das 17:00.

Para chegar até lá você pode pegar o Tram número 11 e parar em “Hegibachplatz” ou número 2 ou 4 e parar em “Höschgasse” ou o ônibus número 33 na parada “Botanischer Garten”.

Bom passeio!


14 mar 2012

Só pra dar um alô!

Depois que algum tempo, estou de volta! Eu odeio deixar meu blog às traças, ficar mais de uma semana sem escrever e tal, mas também odeio achar que o texto não está bom o sufuciente pra postar. Dilema.

É o seguinte, eu tenho uma pilha de posts quase prontos. Eu escrevo e salvo nos rascunhos. Daí eu penso “Não vou postar, nem deixar agendado, pois amanhã eu arrumo e melhoro um pouquinho mais o texto”. Resultado: texto nunca pronto. Dizem que é mal de jornalista achar que o texto nunca está pronto, mas o negócio é que uma hora ele tem que sair né?

Por exemplo nesse mês eu gostaria de escrever sobre o sistema suíço (política, economia, educação), e por isso estou fazendo muita pesquisa pra conseguir, primeiramente, entender e postar aqui. Mas eu fico presa no perfeccionismo e nunca termino.

Outro motivo para a ausência é minha nova rotina diária, as aulas de alemão (Em breve um post à respeito. Uma super dica para quem vive em Zurique legalmente). Estou com muita garra em aprender logo essa língua e, por isso, depois da aula, se alguém me convida pra passear na cidade e conversar em alemão, eu topo na hora.

Bom, todo esse blablabla mea culpa foi só pra dizer que eu aprecio muito as visitas/seguidores/comentários que meu blog tem recebido nos últimos meses (motivo pelo qual quero sempre melhorar meus textos) e que eu quero muito continuar postando sobre minha vida (alo, autofofoca?) aqui no país do chocolate! Nem que seja só pra dar um Alô.


12

Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por