15 abr 2010

Enquanto a primavera não vem…

Quando eu falo que namoro à distância, a primeira coisa que as pessoas me perguntam é: Como tu consegues? Bom, nada mais sincero do que dizer que é tudo por amor. Mas claro, que por trás desse amor há muita tecnologia e muita, mas muita força de vontade.

Muito tempo atrás era super normal namorar à distância, mas as notícias sobre o namorado/noivo/marido demorava para chegar. As cartas eram a melhor opção para ascender o foto da paixão manter o contato.

Mas com o avanço da tecnologia, as cartas foram colocadas nas caixinhas de lembranças, e a internet tomou o lugar. Os enamorados e a mãe natureza agradecem. E-mails, msn, skype, sms.. Enfim, qualquer coisa que traga, e com rapidez, uma novidade sobre o namorado é bem vinda.

Durante um bom tempo nosso vínculo foi se formando através das mensagens no facebook. Como todos os gringos, ele usa este site de relacionamentos. Só aqui no nosso querido Tupiniquim o Orkut tem vez. Logo em seguida passamos a usar o Skype, mas só Deus sabe por que SEMPRE dava problema, e a gente tinha que escolher entre ver e ouvir um ao outro. Foi aí que meu namorado fez, aos 23 anos de idade, uma conta no MSN. Até hoje eu não consigo deixar de achar bizarro o fato de eu ser o único contato dele no messenger. Então esse é o nosso meio de comunicação aos domingos. É, da pra estar conectado com ele praticamente o dia todo, agora ver (atraves da tela, claro) só aos domingos, com raras exceções.

Mas vocês devem estar se perguntando “Tá Karina, mas afinal, como é namorar à distância?”. Maravilhoso não é, né? Mas o conselho que eu dou pra quem esta afim de começar um namoro assim é: entenda que tudo, TUDO é diferente. Não é um relacionamento normal.

Pontos positivos: Agora vocês devem estar pensando que eu sou uma louca! Pontos positivos? Sim, e não é só o caso de ver o copo meio cheio, às vezes uma distância pode até fazer bem ao relacionamento. Certeza: claro que certeza, certeza a gente só tem de que o mundo vai acabar em 2012 vai morrer, mas se sujeitar a ter um namoro à distância só é possivel quando se tem certeza dos sentimentos. De outra maneira não iria valer a pena tanta saudade, e por muitas vezes sofrimento. Honestidade: é preciso ser muito honesta e sincera com os sentimentos. Tá com raiva? Fala pra ele. Tá com muita saudade e não tá segurando a barra? Conta pra ele! O cara tá lá do outro lado do mundo e não tem o privilégio (ou não) de ver sua birra quando não gosta de alguma coisa. Muitas vezes namoros presenciais (que universitário) podem falhar por isso. A gente fica esperando que o cara descubra tudo que a gente pensa num piscar de olhos e esquece que a sinceridade é o melhor caminho pra um relacionamento saudável.

Pontos negativos: Não vou dizer que tudo é ruim, porque afinal eu amo meu namorado e não trocaria ele por cara nenhum aqui no Brasil, porém é inegável que não é mil maravilhas, né? Contato físico: pra mim o mais difícil é a falta de pele, de cheiro, beijos e abraços. Mas… é tudo por um bem maior! Então paciência! Desistência: com tanta saudade e distância às vezes a vontade de jogar tudo pro alto aparece, e isso pode balançar o namoro. Muito pensamento negativo pode fazer com que o seu namorado queira desistir também. Aí com os dois pra baixo, é dificil continuar com o relacionamento. Despedida: desde o dia que conheci meu namorado, eu convivo com isso (alo flash back?). É muito ruim viver meses de extrema felicidade e em seguida dizer tchau e voltar a vida normal sem ele. Até mesmo nas conversas via internet, a hora de se despedir é sempre muito ruim.

Mas pra ser sincera uma das coisas que mais me irritam é a pergunta: Tu é fiel? Eu realmente perco a paciência e sou grosseira. Acho essa pergunta meio ambigua. Se é pra enganar alguém, pra que namorar? Pelo simples prazer de trair alguém?

Dica: Não deixe orkut, facebook, msn ou skype estragar seu relacionamento. Não mantenha seu foco em investigar a vida do seu namorado. Cada um tem a sua individualidade, independente de relacionamento. Use esses meios de comunicação a seu favor!

Mas a verdade é que cada um sabe o que é melhor pra si, o que vale ou não a pena. E você? Já namorou à distância? Já pensou na idéia? Acha uma besteira?


Ou comente por aqui:

Nenhuma resposta para "Enquanto a primavera não vem…"

Maria Azevedo
19-04-2010 @ (15:27)

>aprender com os mais velhos, haha.ninguem sabe o que ela passa com essa distência mais do que EU! haha.


May
08-06-2010 @ (09:04)

>oziii.. q tanto amorr! amigaa, as distâncias estão ficando cada vez mais curtas!justamente pela "era da informatíca" e valores acessiveis para viajar!mas é isso aí! esse é o lema!Não deixa a peteca cair!DALE JASTIN!!AMO AMIGA!Sinto saudades.


rô manfrini
08-06-2010 @ (13:05)

>Meu deus amigaa.. li esse post e olha, concordo com cada vírgula disso tdo! To vivendo um relacionamento exatamente igual.. e olha, NADA fácil! Principalmente no q tu diz da despedida.. é exatamente isso! Na distância tem muitas vezes q eu acho q não vou aguentar.. e vou te dizer, não é pra qq um não! Vamos marcar alguma coisinha pra por os papos em dia.. bj amore ;*


Amanda
10-06-2010 @ (01:31)

>adoreiiii! Jornalista de primeira hehehe ;]saudades!!!beijooo


Bruna Karoline
19-04-2011 @ (15:05)

Karinaaaaaaa, ameeei esse texto, vou viver isso daqui a alguns meses… =/

Adoreeei mesmo!!!!

Beijooos


karinaazevedo
20-04-2011 @ (15:18)

Sério Bruna? Qual vai ser a distância?? Boa sorte e paciência! haha

Beijos!



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por