03 jul 2012

Touch the Air

Final de semestre para estudante universitário na Suíça é uma loucura. É quase um mês de provas, e mais um mês intenso de estudos. Nessa história, eu “perco” meu marido por quase dois meses. E pra comemorar o final do periodo de provas, compramos ingressos para um festival de música eletrônica, junto com os amigos dele. O plano era: última prova de manhã, no final da tarde fazer uma malinha, pegar a barraca e se jogar no trem com destino ao Touch the Air (nome do festival). A intensão era: curtir muito meu marido, beber na medida certa e me divertir muito!

  Primeira noite foi tudo lindo. Montamos a barraca no pôr do sol, num espaço reservado para isso em frente ao festival e fizemos um esquenta pra entrar na festa.

Porém, essa noite não durou muito, pois todos estavam cansados e ainda havia muito pra curtir no sábado. Fomos dormir por volta das duas da manhã. E aí começou meu pesadelo ;(

Senti uma dor horrível no corpo a noite toda (fibromialgia, já me dizendo que algo estava errado) – tirando o frio e o desconforto de dormir em barraca sem saco de dormir. Por volta das 8 horas eu acordei e já senti meu estomago mau. Aí começou a via sacra banheiro-móvel-barraca. Até que as 14:00 eu consegui ir até a cidade e comer alguma coisa. A tarde passou tranquilamente, já que passamos o tempo todo na frente de um shopping com banheiro (haha). Devia estar uns 28 graus e eu comecei a sentir frio e uma dor no corpo de novo. Voltamos pra barraca e eu só piorava. Não comia e nem bebia nada, só sentir frio e dor.

A noite chegou, e como eu não sou egoísta, falei pro Amir ir pra festa com os amigos dele, porque eu só precisava dormir. Acordei perto da uma da manhã me sentindo renovada! Liguei pro Amir e ele foi me buscar. 10 minutos dentro do parque do festival, e comecei a piorar. Voltei pra barraca, tomei uma água e vomitei. Ali o Amir percebeu que o caso era sério e ligamos pra uma amiga ir nos buscar. Foi uma hora de espera e pareceu uma eternidade. E o amigo do Amir querendo me fazer beber chá gelado, e cada gole era uma vomitada (ECA). Nossa amiga chegou e a ideia era ir direto pro hospital, mas eu sempre achando que só precisava de um lugar sem barulho e quentinho pra dormir. Dormi no carro e acabamos indo pra casa mesmo.

Tchau festa. Tchau folia. Tchau bebida. Tchau super organizado evento!

No outro dia de manhã, já muito fraca, comi uma bala de dextrose, pra poder levantar da cama. Foi quando meu estômago rejeitou a bala que eu percebi que era hora de ir pro hospital.

Resultado do meu final de festa: 6 horas de hospital, 2 litros de soro, muita dor, cólica e enjoo, uma infecção gastro-intestinal e 200 francos (ingresso meu+dele) para montar uma barraca e dormir uma noite.


29 jun 2012

1 ano de Suíça

Um ano atrás eu cheguei na Suíça. Um ano atrás eu deixei tudo e todos sem olhar pra trás! Eram um momento de tristeza e alegria. De despedida e reencontro! Mas uma coisa eu nunca senti: medo. Nem por um instante! Cheguei aqui num dia quente, com duas malas na mão e o coração cheio de coragem. Só.

Nesse um ano muita coisa aconteceu. Me casei, viajei, conheci muita gente e aprendi uma língua nova.

Se foi tudo mil maravilhas? Nem de longe! Me casei longe da minha família e dos meus amigos, senti muita saudade de casa, pensei por alguns instantes em desistir e me senti triste algumas vezes.

Mas, eu faria TUDO DE NOVO de olhos fechados, como fiz há um ano. Felicidade não  tem preço e lutar pela própria felicidade é a maior satisfação do mundo. Que venham mais um, dois, 10 anos de novas experiências, e se Deus quiser, do lado do homem que eu amo.

E a saudade continua!


22 jun 2012

Fotos da semana

Eu amo academia. Por mais que tenha preguiça de ir todo dia. E você?
E a minha caixa de roupas que eu não uso mais venho com um aviso “Não colocar seu bebe dentro da caixa”. Ah, claro, muito obrigada pelo aviso!
Ai se eu te pego já fez seus 15 minutos de fama por aqui. Tchau!
Chocolate suíço, pra que ser tão bom?
Quem, há um bom tempo, esqueceu roupa na máquina de lavar, favor ir buscar.

Momentos sempre especiais com os amigos. E tem coisa melhor na vida que fazer amizade?

Tem! Churrasco com o marido e tardes livres no parque 😉

A cade semana, duas cores novas de esmalte na unha. Só não troca mais por falta de tempo.
Alguém tem escoca de dente elétrica? É a escola perfeita para os preguiçosos, pena que ainda tem que mexer de um lado pro outro (hihihi).
Amo tanto minha nova melissa que tenho até dó de usar (pobre).
Controle em uma mão e celular na outra!


19 jun 2012

NO PHOTO

Depois de muita luta para conseguir assistir os vídeos da minha câmera em HD no computador, eu consegui! E achei um vídeo muito engraçado de Berlin. Na cidade é possível alugar um “carro/bicicleta” e, plasmem, beber enquanto dirige pela cidade. E nunca dava tempo de tirar a máquina da bolsa pra fazer um vídeo. Até que um dia eu ouvi os marmanjos vindo de longe e me preparei. E quando quis filmá-los, olha o que eles fizeram:

NO NO NO NO, NO PHOTO, NO PHOTO! hahahahaha Por que será?

A famosa frase do “Se beber, não dirija” nesse caso é totalmente controversa!

ps: Pena que no wordpress não é possível ver vídeos em HD ;/


18 jun 2012

De novo?

Oi?! (tipo oi envergonhado). E mais uma vez eu fiz planos de escrever uma série de posts aqui e não deu certo. Não escrevi mais por vários motivos, mas um deles foi a preguiça. Me sinto tão mal que dá até medo de retomar. Se antes já estava difícil, imagina agora que eu, workaholic assumida, arrumei mais um emprego/bico? Isso mesmo, agora nas tardes que eu tinha livre pra escrever eu estarei ocupada. Mas é temporário, só 3 semans até meus pais chegarem. E como eles estão vindo vou passear bastante, fazer bastente fotos e acabar tendo várias “pautas”. Então espero ter muitas dicas e informações de Zurique pra passar. Mas pra poder passear e mostrar coisa boa tem que ter dinheiro né? Mas em breve o blog vai estar cheio de novidades e lugares lindos pra ver! Eu sei que não deveria prometer, mas eu prometo tá?

Não me abandonem nas visitas!

Beijos e até breve 😉


06 jun 2012

O sistema educacional suíço

Demorou pra pesquisar, demorou mais ainda pra escrever. Entender e depois explicar o sistema educacional da Suíça me levou um bom tempo, mas acho que finalmente eu entendi a diversidade e vou tentar explicar aqui. Mas pra não ficar cansativo vou dividir os posts. Vou dar uma visão geral hoje e amanhã conto como funciona o período de escola obrigatório. Pode ser? Tranquilo?

Vamos por partes, tipo dose homeopática. O mais importante: a Suíça está entre os melhores sistemas educacionais escolares do mundo. O melhor: não é caro, já que tudo é custeado com dinheiro público. Mas peraí, no Brasil as escolas publicas também são pagas pelo Estado. Porque não são excelentes? Sabemos bem por que.

Já as escolas particulares (de jardim de infância à universidade) estão classificadas como uma das mais caras do mundo, mas apenas 5% dos suíços ingressam no sistema privado. Vocês vão perceber a flexibilidade e as inúmeras possibilidades de se ter uma boa formação, seja ela durante ou depois do Ensino Médio.

Como o país tem 4 línguas oficiais (alemão, francês, italiano e romanche), as aulas nas escolas são ministradas em diferentes línguas, depende to Cantão. Mas toda criança na escola primária aprende outra língua oficial do país (neste caso o romanche fica de fora ) e mais o inglês. Ou seja, ensino completo com um plus de falar três idiomas. A diversidade linguística do país reflete também na formação intercultural da criança. Acostumados desde sempre a línguas e culturas diferentes (já que cada cantão tem sua própria identidade), a cada geração que passa as pessoas ficam mais “abertas”. Minha humilde opinião!

Na parte organizacional, o Estado tem a responsabilidade pelas escolas, porém a organização fica a cargo do município, assim como a contratação de professores, grade curricular escolar e feriados. Porém algumas regras vêm de cima (Federal) como a idade mínima para ingressar na escola e a duração do ensino obrigatório. Apenas as Escolas Superiores Técnicas Federais, que como o nome já diz, são controladas pego Governo Federal. Mas não pense que, por que cada cantão se responsabiliza por suas escolas,  vira uma bagunça. É tudo feito em perfeita harmoniza, respeitando cada cantão e sua cultura.

Como a educação aqui é obrigatória, mesmo as crianças filhas de estrangeiros são obrigadas a ir à escola. A idade mínima para começar os estudos é seis anos, mas é oferecido um, digamos, pré jardim de infância antes dessa idade. Os pais são livres para colocar seus filhos, mas mesmo sem a obrigatoriedade a maioria das crianças vai a “escolinha”.

Então existe o ensino infantil – Jardim de Infância, em seguida o ensino fundamental que pode ser dividido em escola primária e escola secundária – com varias ramificações-, e depois há outras opções para quem quer seguir alguma carreira profissional. Tem o Maturitätschule, que é a preparação para a universidade, ou cursos profissionalizantes.  E acima disso tem as Universidades e Institutos Técnicos, mas eu explico com mais detalhes depois!

Como já falei, amanhã vou postar sobre as três etapas do ensino obrigatório, que vou chamar de Jardim de Infância, Ensino Fundamental e Escola Superior. É importante dizer que cantões diferentes podem ter nomes também diferentes para especificar cada etapa do ensino, mas o princípio é o mesmo. Como moro na parte que tem o alemão como língua oficial, vou dar os nomes que eles dão aqui em Zurique, ok?

Espero que vocês gostem!


05 jun 2012

O estresse e o cabelo

Nós mulheres nos preocupamos tanto com o cabelo, não me mesmo? Para mim o visual pode estar maravilhoso, mas com o cabelo ruim eu me sinto uma bruxa. E muitas vezes usamos produtos caros ou fazemos hidratações malucas e não nos preocupamos com uma coisa simples: o estresse. Esse mal do século pode te fazer perder alguns fios de cabelo, entre outra coisas, como unhas fracas ou mudança na pele.

Eu não sou dermatologista então não sei exatamente o porque, mas pude sentir na pele, ou melhor, no couro cabeludo o efeito do estresse. Meu cabelo sempre caiu muito, mas como tenho bastante, nunca senti falta. Só que ano passado, meses antes de me mudar pra Suíça eu notei que ele estava caindo mais do que o normal. Minha mãe sempre dizia que era pela minha ansiedade em me mudar e tal. O chão do meu quarto era repleto de fios e precisava ser limpo todo o dia. Mas até então não notava nada de diferente na minha cabeça. Até que fiz meu retoque da escova definitiva e, como o cabelo fica mais liso, notei-o muito mais fino, e pior, com uma falha enorme nos lados da cabeça. Eu confesso que já sou meio calva (que horror), tenho pouco cabelo na entrada lateral, mas dessa vez tinha uma falha mesmo. Como meu cabelo é preto, dava pra perceber uma parte mais clara.

Depois que cheguei aqui, fiquei mais tranquila, claro. Aquele estresse de deixar a família já tinha passado e eu estava aproveitando meu namorado ao meu lado. Me sentia mais forte mentalmente, minhas unhas estavam fortes e meu cabelo mais brilhoso. Passados uns dois meses eu acordei de manha e percebi um tufo de cabelo na parta de trás da minha cabeça. Era meu cabelo crescendo novamente. Hoje, um ano após a enorme queda, minhas falhas estão cheias de cabelo de novo. E eu só percebo o quão forte foi, com a quantidade de cabelo que eu vejo crescer.

Essa foto mostra meu cabelo hoje, e todo esse pedaço que  um dia caiu. Não sei se a foto mostra bem o prejuízo, mas a parte menor é a que caiu. Sorte que meu cabelo cresce rápido!

Então fica a dica, cuide de seus cabelos, mas cuide mais ainda da sua saúde mental. E se a ansiedade por uma viagem ou um novo emprego for grande demais, tente relaxar, ouvir uma música que acalme ou um até mesmo ler livro. Ou quem gosta de métodos medicinais e naturais de relaxamento, eu indico a acupuntura. Fiz por meio ano e adorei! O importante é não deixa esse mal tomar conta de você e deixá-la fraca, ou fraco, pois o mesmo vale para os homens.

Vale lembrar que calvície pode ser também genética, oleosidade, distúrbio endócrino, dieta maluca, hormônio e outras coisas que só um médico especialista pode detectar!


04 jun 2012

Fotos da semana

Lembro que chango cheguei aqui, há quase um ano, era verão. Eu desembarquei no final da manhã e logo fui dormir. Acordei a tarde e passei o dia conversando com a minha cunhada e sogra. O dia passou e a noite não chegava, até que olhei no relógio e já eram nove horas da noite. Eu mal pude acreditar que o dia ainda estava claro naquela horário. O inverno então chegou e o dia escurecia às quatro da tarde. Agora na primavera pude ver as folhinhas aos poucos ressurgindo nas árvores e, de novo, o dia demorando pra acabar. E toda vez que eu me dou conta que é tarde e o dia ainda está lindo eu preciso tirar uma foto!

E com o verão chegando o que todos fazem? Dieta, claro. Não gosto de chamar de dieta, essa palavra me lembra aqueles hábitos malucos de comer um ovo por dia, ou passar a semana tomando suco. Eu chamo de hábito alimentar. E o meu melhorou muito, já que por aqui eles são super saudáveis e a salada entra em quase todas as refeições. Mas agora com os corpinhos mais à mostra eu diminuí um pouco o carboidrato e aumentei a fonte de gordura saudável (nozes, óleo de oliva, etc…). E uma coisa que eu tenho feito muito são hambúrgueres. Eu compro a carne fresca, tempero como quero e uso aveia em vez de farinha. Fica uma delícia!

Mas, como comer uma besteirinha é sempre bom, principalmente quando se está viajando de férias, eu dou umas escapadinhas bem legais. Essas fotos abaixo são de Berlim, quando pude matar a saudade de Dunkin’ Donuts! E essa gororoba verde foi em um restaurante asiático. Coisa mais horrível não há. Era uma geleia de chá verde que mais parecia com o Geleia do desenho animado Caça Fantasmas.

Pronta pra sair. Pronta pra viajar.

É só rever as fotos de Berlim que me dá uma saudade. Pegamos um trem de uma hora até a cidade Basel, pois os vôos mais baratos sempre partem de lá. Na ida foi só alegria, na volta só preguiça.

Boa semana a todos!


30 maio 2012

Parabéns Bi!

Das coisas mais difíceis de morar longe de todo mundo, é ficar longe do meu.. digamos, passado paupável. Ai que louca! Bom, é assim: você tem uma história, pessoa que conhecem sua história e também fazem parte dela. Pessoas que te conhecem tão bem que conseguem te “ler”. E coisas assim só acontecem com tempo. E como eu estou aqui há menos de um ano, é impossível ter alguem assim ao meu lado. Toda amizade no início é assim, meio que pisando em ovos. E certos momentos eu não tenho paciência e queria logo alguém que eu pudesse falar tudo e do meu jeito.

As vezes vejo amigas jantando juntas, telefonando, fazendo compras e me dá uma inveja enorme! Porque ao mesmo tempo que eu também tenho algumas amigas, eu não tenho! Dá pra entender?

Negócio que todo esse drama foi pra dizer que eu adoraria poder ter meu marido, minha família e amigos na mesma cidade, pra poder hoje, no aniversário da minha melhor amiga, poder passar o dia todo com ela.

Mas, como isso não é possível eu demonstro por aqui mesmo o quanto eu queria que fosse.

Ela vai odiar a foto, mas pra mim ela é sempre linda! E cervejinha na mão então… perfeito!



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por