18 abr 2012

Sechseläuten!

Ontem foi dia de chuva, fogo, superstições e festa em Zurique: foi o feriado de Sechseläuten, quando a cidade dá adeus ao inverno frio e longo e deseja um verão quente e, também, longo. Sim, o inverno já se foi e estamos na primavera, mas a tradição tem mais a ver com os dias mais longos do que com o inverno. (por mais que o símbolo do “ritual” seja um boneco de neve). A tradição de queimar o boneco de neve acontece todos os anos na terceira segunda-feira de abril, desde o início do século XX. Curiosidade: não é só brasileiro que adora uma festa e um feriado. A comemoração nas ruas começa no domingo, um dia antes do evento.

A informação que eu tenho sobre o evento vem do meu professor de alemão, ou seja, foi passada em alemão, então vou fazer um resumo sobre o que eu entendi (e mais uma breve pesquisa na internet) sobre o Sechseläute.

Pouco tempo atrás, na época medieval, não existia eletricidade certo? Certo. Isso fazia com que os trabalhadores terminassem o expediente cedo, pois no inverno por aqui começa a escurecer as quatro horas da tarde. Com o fim do inverno e início da primavera, os dias ficavam mais longos fornecendo assim, mais luz natural, fazendo com que as pessoas trabalhassem até as seis da tarde, e tivessem um tempo livre ainda na luz do dia. E para celebrar essa época as classes trabalhadoras de Zurique, ou grêmios (de sapateiro, padeiro, etc…) se reuniam para uma passeada, e, as seis da tarde a queima de um espantalho/homem de neve, chamado por aqui de Böögg. E para avisar que os trabalhos deveriam cessar, os sinos da Fraumunster (cartão postao de Zurique) tocavam. Sechse = seis, Läute: o tocar dos sinos.

E sim, o pessoal por aqui continua a tradição até hoje. Mas queimar o boneco de neve as seis da tarde não significa, apenas, dar um pé na bunda no inverno, mas é a esperança de um verão gostoso. Na cabeça do boneco de neve, que fica posicionado acima de uma estaca de madeira, há fogos de artifício. Após atear fogo na estaca, o fogo deve subir rapidamente e explodir a cabeça. Se isso acontecer em pouco tempo, siginifca que será um bom verão – quente e ensolarado. Curiosidade: o menor recorde foi de 5:07 (1974) minutos, e o maior 26:23 minutos (2001).

A passeata é conduzida por aqueles que, às seis da tarde, ascendem o fogo no Böögg. Os anos se passaram, mas até hoje as roupas da passeata continuam super tradicionais. A cidade fica cheia de pessoas com roupas medievais. No passado apenas homens associados a “Zunft”, em português grêmios, tinham permissão de participar da passeata, mas dizem as más línguas que o evento é totalmente de direita e o que paga seu passaporte e cima do cavalo é o bom e velho dinheiro e a tradição de pai pra filho foi pro beleléu. Ontem tinha até um grêmio árabe participando. E a celebração da elite (Sechseläute) e dos trabalhadores hoje em dia é festeja em datas próximas, ja que o dia internacional do trabalho é dia 1º de abril. Curiosidade: em 2006 o boneco de neve foi roubado por “revolucionários esquerdistas” dias antes do evento.

A origem de Sechseläute foi na área de Bahnhofstrasse a Bürkliplatz e continua até hoje, com o Gran Finale (a queima do Böögg) em frente a casa da Ópera.

Apesar de Zurique não ser uma cidade enorme e muitas pessoas não se importarem com o evento, a presença de visitantes é enorme, dentre turistas e moradores locais. Difícil é achar um lugar pra assistir ao espetáculo. Em frente ao pátio que é queimado o boneco, há um palco pequeno para a área VIP. Alguns escolhem a casa da Ópera, outros um lugar num barco na beira do rio e outros se aventuram em cima de prédios ou pontos de ônibus. Os que tem comércio também tem uma vista privilegiada das sacadas.

Já a pessoa que vos escreve não tem presença VIP e ficou de baixo da chuva vendo apenas a cabeça do boneco, assim como centenas de outras pessoas, claro.

Eu queria ter feito mais fotos da passeata e chegado mais cedo para garantir um lugar melhor, mas com a chuva e o marido doente não foi tão fácil.

Depois de muito fogo e mais nenhum vestigio do boneco a cabeça ainda não havia estourado, o que fez o povo vaiar bastante. Até que quando ninguém mais esperava, a explosão começou e durou bastante. Foram 12 minutos e sete segundos até a explosão. Todos comemoravam e os barcos no lago apertavam a buzina. Dizem que quando o fogo abaixa um pouco é possível colocar salsichas na brasa e fazer uma social ao redor. Com a chuva que tava ontem, quem lucrou mesmo foram as barraquinhas de comida e buginganga, o que me fez lembrar muito do feriado de finados no Brasil.

E no meio daquele povo todo, a polícia fazia a ordem. Dá pra acreditar que as pessoas soguem exatamente as plaquinhas de entrada e saída?

Como eu não consegui tirar uma foto próximo ao fogo, peguei essa no Flickr.


Ou comente por aqui:

Uma resposta para "Sechseläuten!"

Aline Flor
18-04-2012 @ (15:43)

ADOREI o post Karina. Muuuito interessante eu não conhecia, obrigada por compartilhar. Bjosss



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por