15 nov 2012

Cheirinho

Na maioria das vezes dado no cantinho do pescoço, o famoso cangote, hihi. De vez em quando um cheirinho é mais gostoso que um beijinho.

Cheirinho, uma das primeiras palavras estranhas que ele aprendeu comigo. (Quem me conhece sabe que eu invento palavras toscas, e claro, ele aprende todas)

E há coisa melhor do que eu cheirinho de quem a gente ama?


29 jun 2012

1 ano de Suíça

Um ano atrás eu cheguei na Suíça. Um ano atrás eu deixei tudo e todos sem olhar pra trás! Eram um momento de tristeza e alegria. De despedida e reencontro! Mas uma coisa eu nunca senti: medo. Nem por um instante! Cheguei aqui num dia quente, com duas malas na mão e o coração cheio de coragem. Só.

Nesse um ano muita coisa aconteceu. Me casei, viajei, conheci muita gente e aprendi uma língua nova.

Se foi tudo mil maravilhas? Nem de longe! Me casei longe da minha família e dos meus amigos, senti muita saudade de casa, pensei por alguns instantes em desistir e me senti triste algumas vezes.

Mas, eu faria TUDO DE NOVO de olhos fechados, como fiz há um ano. Felicidade não  tem preço e lutar pela própria felicidade é a maior satisfação do mundo. Que venham mais um, dois, 10 anos de novas experiências, e se Deus quiser, do lado do homem que eu amo.

E a saudade continua!


19 abr 2011

A bendita traição

Traição é um assunto bem pesado, não é mesmo? Assunto que desperta várias discussões, mas em uma coisa todos concordam: quem é traído sofre, porque traição dói. Antes que alguém se assuste eu não descobri uma traição, mas uma amiga me contou que acabou de descobrir a traição depois de anos de namoro à distância.

Eu sei que quando alguém pensa em relacionamento à distância, logo pensa na bendita traição. Mas por que associar distância a traição? Existem muitas coisas que podem influenciar pra você levar um belo chifre, mas o principal é a falta de respeito. Os quilômetros que separam você do seu parceiro não têm nada a ver com isso.

Acho tão injusto achar que qualquer relacionamento à distancia resulta em traição, que nem vou me estender muito nesse assunto. Acho que a falta de caráter pode morar do seu lado, ou no outro continente. Conheço amigas que foram traídas com o namorado morando na mesma cidade. No relacionamento à distância você pode não saber o que o outro está fazendo, mas peraí… no relacionamento “normal” é possível saber? É possível saber, com 100% de certeza, quem o outro é? Ninguém sabe, no fundo mal conhecemos a nós mesmos, como conhecer realmente o outro? O lance é viver, amar e respeitar. E esperar reciprocidade. Viver um relacionamento à base de incertezas, insegurança e desconfiança não leva a nada.

Muitas mulheres, principalmente as ciumentas, lutam sempre pela fidelidade, enquanto deveriam ir atrás da lealdade.

Se você foi enganada, não fique pensando que a culpa é sua. A culpa pode ser sua pelo fim do relacionamento, pelo fim do amor, mas você não pode ser culpada por ser enganada. Entende a diferença? Você pode se perguntar várias vezes “Onde foi que eu errei? O que eu não enxerguei?”, mas não pode, jamais, achar que a culpa de uma traição é sua. A comunicação esta aí pra isso, e em um relacionamento o diálogo deve vir em primeiro lugar. Se não tá bom, a gente senta e conversa. Mas ser enganada, achando que mesmo que tudo não esteja mil maravilhas ele ainda te tem como única, e depois de anos descobrir que estava sendo traída é injusto. Porque ser ferida assim é injusto.

Eu não sou especialista em namoro, sexo, ou outra coisa do tipo, muito menos tive muitas experiências, mas talvez essas palavras possam servir de conforto pra alguém especial.

Bola pra frente e amor próprio, SEMPRE!


12 set 2008

Querida amiga,

[À]s vezes sinto pena de você. Sempre buscando maneiras de se adequar ao seu homem. Comprando revistas femininas na tentativa de achar dicas de comportamento. “Prato perfeito para um jantar a dois”. Lá vai você se desdobrar em 5 para dar conta do trabalho, da academia, dos filhos, e do tal jantar que não pode falhar. No editorial moda o título é “Invista em roupas sensuais para conquistar seu gato”. E você, querida, pesando 20kg a mais e 100 kg de culpa tira do guarda-roupa aquele tubinho vermelho de quando você tinha 20 anos. Saúde: “Exercícios que aumentam a libido. Seu namorado vai adorar”. Ai ai, mais uma vez você lê e segue à risca, mas sem pensar no seu prazer, e sim no dele. Na parte Vida profissional as dicas são: “Como conciliar filhos e carreira?”, “Meu salário é maior que o dele”, “Como agir com o assédio no trabalho”. E quando começa o relacionamento, você apela para os sites na esperança que seu signo combine com o dele. E onde fica a autenticidade? A surpresa? Você faz o prato preferido dele, fica grilada pensando no assunto que ele gosta, coloca aquela roupa que ele gosta, faz o sexo igualzinho às dicas da revista (mesmo que isso não faça você sentir-se à vontade). E agora? Agora você está super cansada, nervosa, esperando a campainha tocar. Querida, naquela tarde de terça-feira sem graça quando ele te ligou, tudo que ele queria era vê-la, simplesmente. Não espere demais dos homens. Seja mais você E lembre-se: existem várias, assim como você, seguindo direitinho a receita da bula.

Beijos, K


03 set 2008

Amor, amor

Sofrer por amor é inevitável. A dor de quando um relacionamento acaba, ou quando perece que vai acabar nos faz sentir o mundo virar de cabeça pra baixo (tudo bem, ele vira literalmente a todo instante). Porque, convenhamos, se tudo acabou sem dor, então não era amor. Eu não sei exatamente o que é, mas vamos nomear de amor o sentimento entre namorados. No início do namoro o amor é gostoso, mas mesmo assim dói um pouco, dói pela insegurança. No meio tempo do namoro também dói, porque sempre tem uma briga e te faz ficar agoniada por uma semana ou duas horas, o que dói igual. E no fim quando tudo acaba o amor continua machucando quem foi deixado. A pessoa chora, ouvindo mil vezes a música do Djavan, não come, não sai pra passear. E não adianta alguém dizer “não sofre, vai passar”. Tudo bem, vai mesmo, mas enquando não passa, o amor te causa uma dor insustentável.

Tem vezes que o sofrimento não é só pelo fim do namoro. Eu tenho uma colega de faculdade que tem uma namoro que diz ser perfeito. Ela sabe que o ama e tem certeza da reciprocidade. E com medo da perfeição ela terminou o namoro. Então será que sofrer por amor não é somente inevitável, mas necessário? Porque se tá tudo bem, se ele não te causa ciumes, não tem chulé e não dança daquele jeito que tu odeias, não tem graça. O amor tem que ter altos e baixos, tem que doer pra depois sarar. Se for sempre em linha reta é amor de mãe. Uma briga entre mãe e filha/filho não gera preocupação. Briga entre amigas não gera insegurança, basta o tempo passar e vocês voltam a se falar. Agora namorado é diferente. Existe a insegurança por não saber se ele vai voltar mesmo. Aquela história de deixar livre tudo que ama e se voltar é porque sempre as tive e se não voltar é porque nunca foram minhas é muito bonita, mas na prática… Ninguém deixa livre quem ama e espera voltar. No amor de namorados não existe isso.

A solução deve ser aproveitar o amor. Chorar, rir, brigar, fazer as pazes e ir levando. Deve ser por isso que não existe a fórmula perfeita pro relacionamento amoroso, sexual. O único ingrediente imprescindível pra ele é o amor, e este não têm como ser questionado.



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por