15 jun 2016

Trabalhar na Suíça

Entre as pergunta mais frequentes que recebo por aqui ou pelo youtube, a campeã é: “Como faço pra trabalhar na Suíça?”. Mas aí me veem varias perguntas a cabeça como por exemplo de onde a pessoa tirou a ideia de vir pra Suíça, se ela conhece algo sobre o país, as línguas. Fico bastante intrigada com isso.

Não que eu soubesse muito sobre esse país antes de chegar aqui, mas meu objetivo não era vir atras de emprego. Eu não entendia bulhufas sobre a Suíça e aprendi tudo que sei, vivendo.

Mas enfim, vamos então as respostas, ja que é isso que muitos buscam quando passam por aqui.

    • A primeira coisa que você deve saber é que para trabalhar aqui você deve ter algum tipo de visto. Básico! Eu tenho visto de reunião familiar, por isso estou aqui, não simplesmente vim, arrumei emprego e fiquei. Isso não acontece! Você não vai conseguir um emprego com visto de turista.

 

    • Se você tem um passaporte Europeu pode sim arrumar um emprego aqui, basta alguém querer contrato-lo 🙂

 

    • Se você não tem um, mas tem descendência Europeia, pode ir atras disso. (Não me pergunte como, cada país tem suas regras. Eu mesmo tenho descendência italiana e nunca fui atrás).

 

    • Se você trabalha pra uma multinacional que tem parceria na Suíça, pode pedir para ser transferido caso haja vaga. Eu conheço apenas bancários que foram transferidos para cá. O que eu ouvi falar é que para uma empresa chamar alguém do Brasil para trabalhar aqui, ela precisa provar que dentro da Europa não há ninguém que possa fazer o trabalho, somente a pessoa brasileira escolhida. Pode ser que seja mais fácil, não sei. Isso é o que ouço falar.

 

    • Há sim muitos trabalhos na área da construção e são bem pagos. A maioria das pessoas que faz esse trabalho não portugueses, italianos, húngaros e várias outras nacionalidades com passaporte Europeu. O mesmo serve para trabalhos na área da limpeza. Mas, repito, não vai ser possível arrumar um emprego nessas áreas se você vir pra ca sem visto.

 

    • Ai você me pergunta: Mas Karina, e os trabalho sem registro onde se recebe menos? Eu, sinceramente, não conheço ninguém aqui que trabalhe assim. Não conheço nenhuma empresa Suíça querendo correr o risco de ser pego com tanto europeu com visto procurando trabalho por aqui. Se você quer tanto morar na Suíça ja deve ter ouvido falar na pontualidade suíça né? Não é somente na pontualidade que eles são certinhos, fica a dica.

 

Mas aí você esta ai pensando que eu joguei um balde de água fria! Não mesmo, dei a dica de ir atras de um passaporte europeu, caso você tenha direito a um. Não aconselho de jeito nenhum se casar com um Suíço para conseguir visto. Ainda vou falar sobre isso.

Há muitos sites onde você pode procurar vagas para trabalhar na Suíça, a maioria procura pessoas com qualificação. Mas se você quer, de qualquer jeito, vir pra Suíça e colocou isso na cabeça, então a maneira mais “fácil” é vir com visto de estudante. Eu digo fácil entre aspas por que é um sonho BEM caro, mas que com certeza lhe dará o direito de permanecer por aqui enquanto seu curso durar. Mas se você pensa em vir pra ca pra fazer um curso (de alemão por exemplo) e pagar somente um mês e permanecer o resto, eu jogo mais um balde de água fria (desculpa!). Você deve provar que tem o valor para pagar o curso inteiro e mais todas as despesas aqui. Não somente isso, mas tem também que transferir o valor todo para uma conta aqui na Suíça. Então…. mama America é la do outro lado! Por todas essa barreiras que eu fico me perguntando com tantas pessoas podem me perguntar “como eu consigo trabalho ai?”.

Vale lembrar que a Suíça tem 4 línguas oficiais ( uma não tao importante) e dependendo pra qual parte você queira vir, acho essencial aprende-la. Se pretende aprender aqui, não tem problema, mas venha com o inglês (básico). E tenha em mente que seguro de saúde aqui é OBRIGATÓRIO, não tem o SUS para qualquer emergencia 🙂 Mas sobre gastos ja falei nesse post aqui.

Se você chegou até aqui atraído pela resposta (positiva) do título, eu peço desculpa. Mas olha, eu mesma encontrei varias dificuldades durante meu planejamento “morar na Suíça” e recebi vários baldes de água fria em buscas pela internet. Pode ser que você não consiga dar o jeitinho brasileiro pra conseguir o que quer, mas acredito que tudo sempre tem um jeito – que não precise burlar nenhuma regra.

Desejo toda a sorte para vocês que tenham o sonho de morar aqui. E como eu sempre digo para mim mesma: nada é impossível ate que se prove o contrário!

Tschüss!

 

 

 


07 abr 2015

A mudança sempre vem de dentro

Não é novidade pra ninguém que passei por uma fase muito ruim na minha vida. Foi uma coisa atrás da outra, caindo na minha cabeça, e eu tentava me manter forte. Enquanto eu me deixava cair, meus amigos me jogavam pra cima, sempre com elogios.

Eu ouvia as pessoas dizendo o quanto me admiravam, o quanto eu era forte e tentavam me mostrar tudo que eu tinha. E eu achava que não tinha nada. Como me admirar se eu não faço nada de especial? O que afinal eu tinha? Um visto de residência em outro país? Pra que me admirar se eu nem dei inicio a minha carreira profissional? Aí um dia você acorda e se da conta: Eu estou exatamente como queria estar. Um ajuste ali um aqui, mas eu sou exatamente quem eu sempre quis ser aos quase 30. Como eu demorei tanto pra perceber isso?

Eu tenho um texto guardado que eu contava do susto de chegar aos 25 e não ter adquirido nem metade do que eu queria na vida. É, eu sempre fui superexigente comigo mesma. Eu tinha medo de deixar que a minha felicidade do amor me acomodasse. E me assustava saber que a única coisa que tinha dado extremamente certo era a minha vida amorosa. Mas até então eu recebia mal e trabalhava com o que eu não gostava.  Eu tinha medo demais, essa é a verdade. Mas quem vive uma vida sempre cheia de certezas?

Nós temos várias fases na vida. E às vezes sair de uma, e entrar em outra pode ser um processo longo e doloroso. Ninguém acorda um dia e decide “Hoje vou ficar mais madura”. Eu me lembro que com 19 anos eu tive uma crise de identidade, que pareceu mais uma leve deprê. Era como se eu não me conhecesse mais, como se eu não soubesse pra onde ir, muito menos por que ir. Minha mãe me falou, na época, que algumas vezes nós mudamos, amadurecemos e com fica difícil se reconhecer mesmo. Um dos processos mais difíceis é durante a adolescência, que quando a pessoa finalmente se aceita, a adolescência já acabou. É, às vezes o período de mudança é longo. Às vezes prolongamos.

Desta vez, meu processo de mudança além de ser demorado, foi conturbado. Eu me mantinha presa a Karina de antes, sendo que aos poucos o mundo dela ia se modificando. E eu meio que fiquei pra trás. Por que afinal de contas, os últimos anos foram os melhores da minha vida, até que… Enfim vocês sabem. Tem mudanças de fases que a gente só percebe quando acabou, mas infelizmente minhas mudanças foram escancaradas na minha cara.

Eu sempre tive a mania de me autoanalisar e por vezes fico meio melancôlica ou paralizada. E sinceramente acho que se você não passa por isso, ou vive a vida errada, ou vai passar por ela despercebida. Ou pior, sem se perceber.

Sim, a vida me deu umas boas rasteiras ultimamente, mas tudo passa. E ainda está passando.

Eu estou longe da família, eu sei.. mas morar fora do país pra mim é um sonho realizado. Tem seus contras, mas ainda assim, estou quaaaaase como sempre quis. Demorou pra eu perceber! Tenho um emprego que me deixa viajar por períodos longos. Não ganho tão bem quanto uma suíça formada aqui, mas me mantenho sozinha e sem a menor dificuldade. Compro minhas bolsas, meus sapatos e pago minhas viagens. Tenho pessoas muito bacanas ao meu redor, sejam minhas adoráveis jovens brasileiras casadas, ou minhas suíças malucas que bebem mais que homem. E tenho ainda também um relacionamento com a pessoa responsável pela maior mudança na minha vida. Tudo ficou muito conturbado entre a gente, por causa de tanta mudança. Mas eu só preciso achar onde ele entra na minha vida e onde eu entro na vida dele depois de tantas mudanças e tantas descobertas. Mas eu acredito que vamos nos “achar” de novo. De alguma maneira vamos.

Mais uma vez eu saí do casulo. Mais uma vez estou orgulhosa de mim mesma. Foi difícil, foi muito mais doloroso que da ultima vez.

Minhas asas estão renovadas, quem sabe assim posso alçar voos maiores?



Confira os posts recentes!

Karina Azevedo • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por